Enfim saiu a lista dos indicados ao Oscar 2011, já não aguentava mais de tanta ansiedade.
Infelizmente ainda não vi todos os filmes que foram indicados, mas espero assistir todos até o dia da premiação.
O que mais me animou foi vê Toy Story 3 indicado nas categorias de melhor filme, melhor roteiro adaptado e melhor animação.

Indicados ao 83º Oscar:

Melhor Filme

Cisne Negro
O Vencedor
A Origem
Minhas Mães e Meu Pai
O Discurso do Rei
127 Horas
A Rede Social
Toy Story 3
Bravura Indômita
Inverno da Alma


Melhor Diretor

Darren Aronofsky (Cisne Negro)
David O. Russel (O Vencedor)
Tom Hooper (O Discurso do Rei)
David Fincher (A Rede Social)
Ethan e Joel Coen (Bravura Indômita)

Melhor Ator

Javier Bardem, por Biutiful
Jeff Bridges, por Bravura Indômita
Jesse Eisenberg, por A Rede Social
Colin Firth, por O Discurso do Rei
James Franco, por 127 Horas

Melhor Atriz

Annette Bening, por MInhas Mães e Meu Pai
Nicole Kidman, por Reencontrando a Felicidade
 Jennifer Lawrence, por Inverno da Alma
Natalie Portman, por Cisne Negro
 Michelle Williams, por Blue Valentine

Melhor Ator Coadjuvante

Christian Bale, por O Vencedor
John Hawkes, por Inverno da Alma J
eremy Reener, por Atração Perigosa
Mark Ruffalo, por Minhas Mães e Meu Pai
Geoffrey Rush, por O Discurso do Rei

Melhor Atriz Coadjuvante

Amy Adams, por O Vencedor
Helena Bonham Carter, por O Discurso do Rei
Melissa Leo, por O Vencedor
Hailee Steinfeld, por Bravura Indômita
Jackie Weaver, por Reino Animal

Melhor Roteiro Original

Another Year - Mike Leigh
O Vencedor - Scott Silver, Paul Tamasy e Eric Johnson)
A Origem - Christopher Nolan
MInhas Mães e Meu Pai - Lisa Cholodenko
O Discurso do Rei - David Seidler

Melhor Roteiro Adaptado

A Rede Social - Aaron Sorkin
127 Horas - Danny Boyle e Simon Beaufoy
Toy Story 3 - Michael Arndt, John Lasseter, Andrew Stanton e Lee Unkrich
Bravura Indômita - Ethan e Joel Coen
Inverno da Alma - Debra Granik e Anne Rosellini

Melhor Filme Estrangeiro

Biutiful - México
Fora da Lei - Argélia
Dente Canino - Grécia
Incendies - Canadá
Em um Mundo Melhor - Dinamarca

Melhor Animação

Como Treinar o Seu Dragão
Toy Story 3
O Mágico


Melhor Fotografia

Cisne Negro
A Origem
O Discurso do Rei
A Rede Social
Bravura Indômita


Melhor Direção de Arte

Alice no País das Maravilhas
Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 1
A Origem
O Discurso do Rei
Bravura Indômita


Melhor Trilha Sonora

Alexandre Desplat - O Discurso do Rei
John Powell - Como Treinar o seu Dragão
A.R. Rahman - 127 Horas
Trent Reznor e Atticus Ross - A Rede Social
Hans Zimmer - A Origem

Melhor Documentário

Lixo Extraordinário
Exit Through the Gift Shop
Trabalho Interno
Gasland
Restrepo


Melhor Documentário (curta-metragem)

Killing in the Name
Poster Girl
Strangers no More
Sun Come Up
The Warriors of Qiugang


Melhor Canção Original

Coming Home - Country Strong
I See the Light - Enrolados
If I Rise - 127 Horas
We Belong Together - Toy Story 3


Melhor Curta-Metragem

The Confession
The Crush
God of Love
Na Wewe
Wish 143


Melhor Animação em Curta-Metragem
Dia & Noite
The Gruffalo
Let's Pollute
The Lost Thing
Madagascar, Carnet de Voyage


Melhor Maquiagem

O Lobisomem
Caminho da Liberdade
Minha Versão para o Amor


Melhor Edição de Som

A Origem
Toy Story 3
Tron - O Legado
Bravura Indômita
Incontrolável


Melhor Mixagem de Som

A Origem
Bravura Indômita
O Discurso do Rei
A Rede Social
Salt


Melhor Efeito Visual

Alice no País das Maravilhas
Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 1
Além da Vida
A Origem
Homem de Ferro 2


Melhor Figurino

Alice no País das Maravilhas - Colleen Atwood
Eu sou o Amor - Antonella Cannarozzi
O Discurso do Rei - Jenny Beavan
The Tempest - Sandy Powell
Bravura Indômita - Mary Zophres

Melhor Edição

Cisne Negro - Andrew Weisblum
O Vencedor - Pamela Martin
O Discurso do Rei - Tariq Anwar
127 Horas - Jon Harris
A Rede Social - Angus Wall e Kirk Baxter


Quais serão os vencedores ???????
Em 2010 me surpreendi com o vencedor da categoria de  melhor filme, será que teremos mais surpresas este ano ?

Façam as suas apostas e comecem a torcer pelo seu favorito !!!









Framboesa de Ouro 2011


Estava esperando para saber quais seriam os  indicados ao  Framboesa de Ouro 2011, conhecido como o anti-Oscar.

Parece que resolveram pegar no pé  de A Saga Crepúsculo: Eclipse, que disputa as categorias de pior filme, duas vezes como pior ator (Robert Pattinson e Taylor Lautner) e pior atriz (Kristen Stewart).

Outro destaque desta 31ª edição do Razzie, como é chamado o prêmio, nos Estados Unidos, é a atriz Jessica Alba, que tem quatro chances de se sair "vencedora" na categoria de pior atriz coadjuvante.

Este ano tem uma nova categoria , Cats and Dogs 2: The Revenge of Kitty Galore, Fúria de Titãs, O Último Mestre do Ar, Nutcracker 3D e Jogos Mortais 7 3D disputam o troféu de pior uso da tecnologia 3D.

Framboesa de Ouro e o Oscar


Como já é tradição, o anúncio dos indicados aconteceu um dia antes da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood divulgar quem são os concorrentes ao Oscar. Da mesma forma, a cerimônia de entrega do Framboesa de Ouro antecede o Oscar em um dia, portanto, será realizado em 26 de fevereiro, no teatro Barnsdall Gallery, em Los Angeles.

Lis
ta com todos os indicados.

Pior filme


A Saga Crepúsculo: Eclipse
O Último Mestre do Ar
Os Vampiros que Se Mordam
Sex and the City 2
Caçador de Recompensas

Pior ator


Jack Black - As Viagens de Gulliver
Gerard Butler - Caçador de Recompensas
Robert Pattinson - A Saga Crepúsculo: Eclipse
Taylor Lautner - A Saga Crepúsculo: Eclipse
Ashton Kutcher - Par Perfeito e Idas e Vindas do Amor

Pior atriz


Jennifer Aniston - Caçador de Recompensas e Coincidências do Amor
Miley Cyrus - A Última Música
Kristen Stewart - A Saga Crepúsculo: Eclipse
Megan Fox - Jonah Hex
Sarah Jessica Parker, Kim Cattrall, Kristin Davis e Cynthia Nixon - Sex and the City 2

Pior ator coadjuvante


Billy Ray Cyrus - Missão Quase Impossível
George Lopez - Missão Quase Impossível, Idas e Vindas do Amor e Marmaduke
Dev Patel - O Último Mestre do Ar
Jackson Rathbone - O Último Mestre do Ar e A Saga Crepúsculo: Eclipse
Rob Schneider - Gente Grande

Pior atriz coadjuvante


Cher - Burlesque
Liza Minnelli - Sex and the City 2
Nicola Peltz - O Último Mestre do Ar
Barbra Streisand - Entrando Numa Fria Maior Ainda com a Família
Jessica Alba - The Killer Inside Me, Machete, Idas e Vindas do Amor e Entrando Numa Fria Maior Ainda com a Família

Pior diretor


Jason Friedberg e Aaron Seltzer - Os Vampiros que Se Mordam
Michael Patrick King - Sex and the City 2
M. Night Shyamalan - O Último Mestre do Ar
David Slade - A Saga Crepúsculo: Eclipse
Sylvester Stallone - Os Mercenários

Pior roteiro


O Último Mestre do Ar
Entrando Numa fria Maior Ainda com a Família
Sex and the City 2
Os Vampiros que Se Mordam
A Saga Crepúsculo: Eclipse

Pior casal ou elenco


Jennifer Aniston e Gerard Butler - Caçador de Recompensas
O rosto de Josh Brolin e o sotaque de Megan Fox - Jonah Hex
Todo o elenco de O Último Mestre do Ar
Todo o elenco de A Saga Crepúsculo: Eclipse
Todo o elenco de Sex and the City 2

Pior sequência, versão ou paródia


O Último Mestre do Ar
Fúria de Titãs
Sex and the City 2
Os Vampiros que Se Mordam
A Saga Crepúsculo: Eclipse

Pior uso da tecnologia 3D

Cats and Dogs 2: The Revenge of Kitty Galore
Fúria de Titãs
O Último Mestre do Ar
Nutcracker 3D
Jogos Mortais 7 3D






O Diário

Há pouco tempo escrevi sobre o livro "O Diário" de James Patterson. Esse  é o melhor romance que li em toda  minha vida.
Matt escreve dois poemas, um especialmente para Suzanne e um outro para Nicholas e Suzanne, achei que seria interessante compartilhar esses dois poemas tão lindos e sinceros escrito por um homem apaixonado.


Suzanne querida,

Você é uma explosão de cravos
num aposento sombrio.
Ou o inesperado cheiro de pinho a quilômetros do Maine.
É um cartão do Dia dos Namorados, amarfanhado e amado e cem vezes relido.
Você é mel
e canela,
e especiarias da Índias
caídas do navio que um dia foi de Marco Polo.
É uma rosa prensada,
um anel de pérola
e um frasco carmim de perfume achado junto ao Nilo.
Você é uma alma antiga de um antigo lugar,
nascida há mil anos, séculos e milênios.
E percorreu todo esse caminho
só para que eu pudesse amá-la.
E eu amo.

Matt



Nicholas e Suzanne

Quem faz acenarem as copas das árvores,
E de longínquas terras traz naus para casa,
E com simples palha refaz a trama do ouro,
E tem um amor grande demais para conter ?
Quem afugenta as chuvas do céu,
E à lua entoa canções de ninar,
E de um mágico poço concede desejos,
E de conchas extrai pura melodia ?
Quem tem o dom de tudo fazer
Com o que quer que segure ou toque,
Quem transforma em vida a pura alegria ?
É a minha mulher e a meu filho que tudo isso devo

Matt


"Os tão desejados barcos
Retornam vazios ou submergem nas profundezas.
E os olhos perdem primeiro as lágrimas e depois o sono.

Confie em mim

Ontem terminei de ler o livro " Confie em mim" , no início não me interessou muito principalmente por não conhecer o autor, confesso, me surpreendi . É uma  história fascinante.                    
                                              


Sinopse:

Os primeiros relatórios não revelam nada importante. Porém, quando eles já começavam a se sentir mais tranqüilos, uma estranha mensagem muda completamente o rumo dos acontecimentos: “Fica de bico calado que a gente se safa.”

Perto dali, a mãe de Spencer, Betsy, encontra uma foto que levanta suspeitas sobre as circunstâncias da morte de seu filho. Ao contrário do que todos pensavam, ele não estava sozinho naquela noite fatídica. Teria sido mesmo suicídio?

Para tornar o caso ainda mais estranho, Adam combina ir a um jogo com o pai, mas desaparece misteriosamente. Acreditando que o garoto está correndo grande perigo, Mike não medirá esforços para encontrá-lo.Quando duas mulheres são assassinadas, uma série de acontecimentos faz com que a vida de todas essas pessoas se cruzem de forma trágica, violenta e inesperada.

"Confie em mim" é um suspense eletrizante, mas também um convite à reflexão sobre temas mais profundos. Neste livro, Harlan Coben  aborda assuntos atuais, como a facilidade de acesso a informações na era da internet, e questiona os limites no relacionamento entre pais e filhos: quando é hora de intervir? Quando o melhor é simplesmente confar? Até onde você iria para proteger as pessoas que mais ama na vida?
Poema sujo
(trecho inicial)
 
turvo turvo
a turva
mão do sopro
contra o muro
escuro
menos menos
menos que escuro
menos que mole e duro menos que fosso e muro: menos que furo
escuro
mais que escuro:
claro
como água? como pluma? claro mais que claro claro: coisa alguma
e tudo
(ou quase)
um bicho que o universo fabrica e vem sonhando desde as entranhas
azul
era o gato
azul
era o galo
azul
o cavalo
azul
teu cu
tua gengiva igual a tua bocetinha que parecia sorrir entre as folhas de
banana entre os cheiros de flor e bosta de porco aberta como
uma boca do corpo (não como a tua boca de palavras) como uma
entrada para
eu não sabia tu
não sabias
fazer girar a vida
com seu montão de estrelas e oceano
entrando-nos em ti
bela bela
mais que bela
mas como era o nome dela?
Não era Helena nem Vera
nem Nara nem Gabriela
nem Tereza nem Maria
Seu nome seu nome era...
Perdeu-se na carne fria
perdeu na confusão de tanta noite e tanto dia
perdeu-se na profusão das coisas acontecidas
constelações de alfabeto
noites escritas a giz
pastilhas de aniversário
domingos de futebol
enterros corsos comícios
roleta bilhar baralho
mudou de cara e cabelos mudou de olhos e risos mudou de casa
e de tempo: mas está comigo está
perdido comigo
teu nome
em alguma gaveta
Que importa um nome a esta hora do anoitecer em São Luís
do Maranhão à mesa do jantar sob uma luz de febre entre irmãos
e pais dentro de um enigma?
mas que importa um nome
debaixo deste teto de telhas encardidas vigas à mostra entre
cadeiras e mesa entre uma cristaleira e um armário diante de
garfos e facas e pratos de louças que se quebraram já
um prato de louça ordinária não dura tanto
e as facas se perdem e os garfos
se perdem pela vida caem
pelas falhas do assoalho e vão conviver com ratos
e baratas ou enferrujam no quintal esquecidos entre os pés de erva-cidreira
e as grossas orelhas de hortelã
quanta coisa se perde
nesta vida
Como se perdeu o que eles falavam ali
mastigando
misturando feijão com farinha e nacos de carne assada
e diziam coisas tão reais como a toalha bordada
ou a tosse da tia no quarto
e o clarão do sol morrendo na platibanda em frente à nossa
janela
tão reais que
se apagaram para sempre
Ou não?
Não sei de que tecido é feita minha carne e essa vertigem
que me arrasta por avenidas e vaginas entre cheiros de gás
e mijo a me consumir como um facho-corpo sem chama,
ou dentro de um ônibus
ou no bojo de um Boeing 707 acima do Atlântico
acima do arco-íris
perfeitamente fora
do rigor cronológico
sonhando
Garfos enferrujados facas cegas cadeiras furadas mesas gastas
balcões de quitanda pedras da Rua da Alegria beirais de casas
cobertos de limo muros de musgos palavras ditas à mesa do
jantar,
voais comigo
sobre continentes e mares
E também rastejais comigo
pelos túneis das noites clandestinas
sob o céu constelado do país
entre fulgor e lepra
debaixo de lençóis de lama e de terror
vos esgueirais comigo, mesas velhas,
armários obsoletos gavetas perfumadas de passado,
dobrais comigo as esquinas do susto
e esperais esperais
que o dia venha
E depois de tanto
que importa um nome?
Te cubro de flor, menina, e te dou todos os nomes do mundo:
te chamo aurora
te chamo água
te descubro nas pedras coloridas nas artistas de cinema
nas aparições do sonho

- E esta mulher a tossir dentro de casa!
Como se não bastasse o pouco dinheiro, a lâmpada fraca,
O perfume ordinário, o amor escasso, as goteiras no inverno.
E as formigas brotando aos milhões negras como golfadas de
dentro da parede (como se aquilo fosse a essência da casa)
E todos buscavam
num sorriso num gesto
nas conversas da esquina
no coito em pé na calçada escura do Quartel
no adultério
no roubo
a decifração do enigma
- Que faço entre coisas?
- De que me defendo?
Num cofo de quintal na terra preta cresciam plantas e rosas
(como pode o perfume
nascer assim?)
Da lama à beira das calçadas, da água dos esgotos cresciam
pés de tomate
Nos beirais das casas sobre as telhas cresciam capins
mais verdes que a esperança
(ou o fogo
de teus olhos)
Era a vida a explodir por todas as fendas da cidade
sob as sombras da guerra:
a gestapo a wehrmacht a raf a feb a blitzkrieg
catalinas torpedeamentos a quinta-coulna os fascistas os nazistas os
comunistas o repórter Esso a discussão na quitanda a querosene o
sabão de andiroba o mercado negro o racionamento oblackout as
montanhas de metais velhos o italiano assassinado na Praça João
Lisboa o cheiro de pólvora os canhões alemães troando nas noites de
tempestade por cima da nossa casa. Stalingrado resiste.
Por meu pai que contrabandeava cigarros, por meu primo que passava
rifa, pelo tio que roubava estanho à Estrada de Ferro, por seu Neco
que fazia charutos ordinários, pelo sargento Gonzaga que tomava
tiquira com mel de abelha e trepava com a janela aberta,
pelo meu carneiro manso
por minha cidade azul
pelo Brasil salve salve,
Stalingrado resiste.
A cada nova manhã
nas janelas nas esquinas nas manchetes dos jornais
Mas a poesia não existia ainda.
Plantas. Bichos, Cheiros. Roupas.
Olhos. Braços. Seios. Bocas.
Vidraça verde, jasmim.
Bicicleta no domingo.
Papagaios de papel.
Retreta na praça.
Luto.
Homem morto no mercado
sangue humano nos legumes.
Mundo sem voz, coisa opaca.
Nem Bilac nem Raimundo. Tuba de alto clangor, lira singela?
Nem tuba nem lira grega. Soube depois: fala humana, voz de
gente, barulho escuro do corpo, intercortado de relâmpagos
Do corpo. Mas que é o corpo?
Meu corpo feito de carne e de osso.
Esse osso que não vejo, maxilares, costelas
flexível armação que me sustenta no espaço
que não me deixa desabar como um saco
vazio
que guarda as vísceras todas
funcionando
como retortas e tubos
fazendo o sangue que faz a carne e o pensamento
e as palavras
e as mentiras
e os carinhos mais doces mais sacanas
mais sentidos
para explodir uma galáxia
de leite
no centro de tuas coxas no fundo
de tua noite ávida
cheiros de umbigo e de vagina
graves cheiros indecifráveis
como símbolos
do corpo
do teu corpo do meu corpo
corpo
que pode um sabre rasgar
um caco de vidro
uma navalha
meu corpo cheio de sangue
que o irriga como a um continente
ou um jardim
circulando por meus braços
por meus dedos
enquanto discuto caminho
lembro relembro
meu sangue feito de gases que aspiro
dos céus da cidade estrangeira
com a ajuda dos plátanos
e que pode - por um descuido - esvair-se por meu
pulso
aberto
Meu corpo
que deitado na cama vejo
como um objeto no espaço
que mede 1,70m
e que sou eu: essa coisa deitada
barriga pernas e pés
com cinco dedos cada um (por que
não seis?)
joelhos e tornozelos
para mover-se
sentar-se
levantar-se
meu corpo de 1,70m que é meu tamanho no mundo
meu corpo feito de água
e cinza
que me faz olhar Andrômeda, Sírius, Mercúrio
e me sentir misturado
a toda essa massa de hidrogênio e hélio
que se desintegra e reintegra
sem se saber pra quê
Corpo meu corpo corpo
que tem um nariz assim uma boca
dois olhos
e um certo jeito de sorrir
de falar
que minha mãe identifica como sendo de seu filho
que meu filho identifica
como sendo de seu pai
corpo que se pára de funcionar provoca
um grave acontecimento na família:
sem ele não há José Ribamar Ferreira
não há Ferreira Gullar
e muitas pequenas coisas acontecidas no planeta
estarão esquecidas para sempre
corpo-facho corpo-fátuocorpo-fato
atravessados de cheiros de galinheiros e rato
na quitanda ninho
de rato
cocô de gato
sal azinhavre sapato
brilhantina anel barato
língua no cu na boceta cavalo-de-crista chato
nos pentelhos
com meu corpo-falo
insondável incompreendido
meu cão doméstico meu dono
cheio de flor e de sono
meu corpo-galáxia aberto a tudo cheio
de tudo como um monturo
de trapos sujos latas velhas colchões usados sinfonias
sambas e frevos azuis
de Fra Angelico verdes
de Cézanne
matéria-sonho de Volpi
Mas sobretudo meu
corpo
nordestino
Mais que isso
maranhense
mais que isso
sanluisense
mais que isso
ferreirense
newtoniense
alzirense
meu corpo nascido numa porta-e-janela da Rua dos Prazeres
ao lado de uma padaria sob o signo de Virgo
sob as balas do 24º BC
na revolução de 30
e que desde então segue pulsando como um relógio
num tic tac que não se ouve
(senão quando se cola o ouvido à altura do meu coração)
tic tac tic tac
enquanto vou entre automóveis e ônibus
entre vitrinas de roupas
nas livrarias
nos bares
tic tac tic tac
pulsando há 45 anos
esse coração oculto
pulsando no meio da noite, da neve, da chuva
debaixo da capa, do paletó, da camisa
debaixo da pele, da carne,
combatente clandestino aliado da classe operária
meu coração de menino

Ferreira Gullar

O poema acima é considerada a obra mais ousada de Ferreira Gullar,  é um livro escrito em 1975, composto por um poema com mais de dois mil versos. Através dele, o autor resgata sua infância, adolescência e outros fatos importantes de sua vida. O poema surgiu da necessidade de, como ele mesmo afirmou, "escrever um poema que fosse o meu testemunho final, antes que me calassem para sempre". Numa época de forte repressão política, Gullar sentia-se perseguido pela ânsia de rememorar o passado e a dificuldade de expressar, em linguagem poética o universo interior.

 Obra escrita durante o Regime Militar, lida inicialmente pelo autor, na casa de Augusto Boal em Buenos Aires, no ano de 1975, a pedido do poeta Vinicius de Moraes – que gravou o recital e, a partir daí, promoveu uma série de recitais onde os versos eram ouvidos por platéias ecléticas.

"Poema Sujo" é concreto, sem formalismo, é uma espécie de desabafo do autor, longe do seu país e de seu ambiente cultural.O termo “Sujo” do título é já um alerta para uso de palavras de baixo calão, de gírias sexuais.



Ferreira Gullar, grande poeta, crítico de artes, biógrafo, tradutor,e ensaísta brasileiro e um dos fundadores do neocentrismo.  Nasceu no dia 10 de setembro de 1930, na cidade de São Luiz, capital do Maranhão.

 Publicou seu primeiro livro em 1949 intitulado "Um pouco acima do chão"  Em 1950, com o poema "O galo", ganhou um concurso promovido pelo Jornal de Letras.
Em 1961, Gullar assumiu a direção da Fundação Cultural de Brasília no governo de Jânio Quadros. Na instituição, que dirigiu até outubro de 1961, construiu o Museu de Arte Popular.
Durante o governo militar, em 13 de dezembro de 1968, Gullar foi preso em companhia de Paulo Francis, Caetano Veloso e Gilberto Gil.
Em 1975, publicou "Dentro da noite veloz" e escreveu, em Buenos Aires, o famoso "Poema sujo", que chegou ao Brasil gravado em uma fita, trazida por Vinicius de Moraes e publicado no ano seguinte pela editora Civilização Brasileira.

Em 1997, lançou "Cidades inventadas". Em 1998 pubicou  "Os Anos de Exílio" . No ano seguinte, lançou "Muitas vozes" e foi agraciado com o Prêmio Jabuti, na categoria poesia. Em 2000, recebeu o Prêmio Multicultural Estadão, de O Estado de São Paulo, pelo conjunto de sua obra.

" O Diário " James Patterson

"Imagine que a vida é um jogo, cujo objetivo é manter cinco bolas no ar. As bolas chamam-se trabalho, família, saúde, amigos e integridade. E tens de as manter todas no ar ao mesmo tempo. Mas, um dia, percebes que o trabalho é uma bola de borracha. Se a deixares cair, ela vai bater no chão e voltará para ti. As outras quatro bolas (família, Saúde amigos e integridade) são de cristal. Se deixares cair uma delas, ficará irreparavelmente rachada, lascada ou mesmo partida em pedaços. E assim que aprenderes realmente a lição da cinco bolas, terá o início do equilíbrio na tua vida"





O amor da vida de Katie termina repentinamente com ela, sem dizer ou dar uma explicação.
Matt a amava; Ela tinha praticamente certeza.
Mas ele a deixou um Diário. O diário de Suzanne para Nicholas. A mulher e o filho de Matt.
As respostas, ou quase todas, se encontravam no diário.

Varios trechos me fizeram chorar, pois nunca li um livro tão sincero e verdadeiro como este, porém esse trecho é especial:

"A música está a tocar, mas tu não estás no berço.Lembro-me da Mamãe a sair de casa para dar as suas voltas naquela manhã. Gritei-lhe: Eu amo-te; e ela soprou-me um beijo. Depois enrugou o nariz daquela forma especial que só ela sabe fazer. Tu sabes o que eu quero dizer. Tu conheces aquele olhar dela. Depois deu-me o seu "famoso piscar de olhos" e consigo visualizar tudo agora. Estou a ver Suzanne.Os seus braços estão carregados, porque ela está contigo ao colo, meu querido bebé. Queria que tu fosses o primeiro a ver as lindas fotografias emolduradas. Foi por isso que ela te levou á cidade naquela manhã do teu aniversário." - e percebi o que tinha acontecido


Um dos melhores livros que li na vida, todos que o leram acharam ma-ra-vi-lho-so.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...