ARCA DAS LETRAS




As famílias de agricultores estão encantadas com a oportunidade de leitura proporcionada pelo programa Arca das Letras, que leva livros oara comunidades distantes das bibliotecas.

O programa Arca das Letras foi criado há oito anos pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). O objetivo é levar através de uma caixa recheada de livros, a leitura e outras atividades educacionais aos moradores da zona rural, onde uma biblioteca é algo raro. Oito mil comunidades da agricultura familiar em todo o Brasil já foram beneficiadas.


As bibliotecas são compostas por 300 livros, entre dicionários, obras de literatura, publicações nacionais, internacionais e clássicos, os acevos são formados por literatura infantil, para jovens e adultos, livros didáticos, técnicos, especializados e de referência ao exercicío da cidadania.

 O objetivo é promover o hábito da leitura nas comunidades. O programa inclui a formação de 536 agentes de leitura e de voluntários das comunidades rurais pra desenvolver atividades de incentivo à leitura e de empréstimos de livros.

O programa já implantou 631 bibliotecas em 13 estados, o que significa atendimento a 56.790 famílias com 164.060 livros. O programa também está presente em counidades do Timor Leste e de Cuba, 1.412 agentes. Os livros são doados por estudantes, instituições públicas e privadas, editoras, organizações não-governamentais e pelo Governo Federal.



Para incentivar e facilitar o acesso à leitura, as bibliotecas são instaladas na casa dos agentes de leitura ou nas sedes de uso coletivo (associações comunitárias, pontos de cultura, igreja), de acordo com a escolha e disponibilidade dos agentes.

O acervo inicial de cada arca conta com cerca de 200 livros, selecionados para contribuir com o trabalho, a pesquisa e o lazer das populações que vivem no campo.

Os livros são organizados na prateleiras de acordo com as áres. Depois as arcas seguem para seu devidos lugares (associações comunitárias, pontos de cultura, igreja ou para casa dos monitores), na frente da casa é colocada a indicação de que lá tem livros para todos e de graça.

Os móveis-biblioteca, onde os livros ficam expostos, são fabricados por meio de parcerias entre prefeituras, órgãos públicos, associações comunitárias e/ ou colaboradores eventuais.

Com os móveis-biblioteca fabricados, o Ministério de Desenvolvimento Agrário envia os livros, o material básico para o funcionamento da biblioteca e também fornece o apoio técnico necessário à capacitação dos agentes de leitura.




Em um grande movimento de solidariedade, o programa Arca das Letras conquistou uma rede de parceiros que reúne esforços e recursos para disseminar a leitura no meio rural brasileiro.


Para maiores informações.

CONTATOS:
Telefones: (61) 2020-0201
(61) 2020-0290
(61) 2020-0266 (FAX)
Endereço: Setor Bancário Norte - Quadra 2 - Lote 16 - Bloco D - Loja 10 - Edifício Sarkis - 2º subsolo - CEP: 70.040-020 - Brasília - DF

E-mail: arcadasletras@mda.gov.br
http://comunidades.mda.gov.br/dotlrn/clubs/arcadasletras/one-community?page_num=0

Exposição “Edital 11″.

MAES abre temporada de exposições com artistas capixabas

Na próxima terça-feira (22), às 19 horas, o Museu de Arte do Espírito Santo Dionísio Del Santo (MAES), no Centro de Vitória, recebe a primeira exposição do ano. A mostra intitulada “Edital 11” é resultado da produção de cinco artistas plásticos capixabas, vencedores do prêmio “Bolsa Ateliê em Artes Visuais”, versão 2010. A inauguração da exposição é aberta ao público.

Cada artista premiado irá expor em uma das salas do museu. São eles: Fátima Nader, Ignez Capovilla, Júlio Tigre, Tom Boechat e Victor Monteiro. O prêmio, concedido pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult), com recursos do Fundo de Cultura, tem como objetivo incentivar a produção artística capixaba, qualificar os artistas selecionados, e o aperfeiçoamento do seu trabalho mediante o acompanhamento e supervisão de um orientador.

Os trabalhos foram escolhidos pela comissão formada pelo artista plástico capixaba Valdelino Gonçalves dos Santos; Kátia Canton, jornalista e crítica de arte de São Paulo; e Ronaldo Barbosa, diretor do Museu da Vale. E foram 40 concorrentes habilitados, número que demonstra o interesse do público, e evidencia a importância do projeto para a comunidade artística no Estado.

Obras
Os artistas tiveram total liberdade de decidir o que seria mostrado. A Bolsa teve a duração de oito meses e a evolução dos trabalhos foi acompanhada por orientador indicado pelo artista.

O projeto “Jardins e outras delicadezas”, de Fátima Nader, destaca o tema da natureza morta revista numa pintura atual, incluindo instalação, ambiente, fotografia e desenho transmutado em pinturas. Fátima foi orientada pela artista plástica Neusa Mendes, e busca fazer uma intervenção artística no entorno do seu ateliê, em Fradinhos, bairro de Vitória que ainda apresenta características bucólicas.

Para conseguir realizar essa intervenção, a artista apresenta uma vídeoinstalação que procura transmitir a essência desta sua experiência no ateliê, em síntese, a ampliação da ideia de ecologia.

Outro projeto que faz parte da exposição “Edital 11” é “Inquilino_3˚ edição_Presença”, de Júlio Tigre, orientado por José Cirillo. Trata-se da intervenção urbana sobre a ocupação de um sobrado na Rua Graciano Neves, esquina com Maria Saraiva, no Centro de Vitória.

O local, abandonado, contrasta com o movimento acelerado da cidade. O edifício range, enverga, mas resiste às intempéries e assombra a rua. Na sala do MAES ele se abre em planos transparentes, dispostos de forma a permitir um passeio por suas entranhas, onde as imagens da instalação se mostram como vísceras de um organismo estranho, com ruídos e silêncios, vazios e surpresas, que podem ou não remeter à experiência solitária de quem vivenciou a visita ao ateliê “Inquilino”.

Os projetos de fotografia premiados foram “Presença”, de Ignez Capovilla; e “Lugar”, de Tom Boechat. Ignez recebeu a orientação de Mariana de Moraes e propõe o crescimento da sua poética na imersão do ambiente artístico. Ela montou seu ateliê no anexo da Galeria Homero Massena, onde se recolheu para realizar suas pesquisas, muitas vezes compartilhando o espaço com outros artistas.

A orientadora Mariana de Moraes faz o convite de um (re) encontro com a paisagem, da busca pela paisagem, da mais íntima e particular aos espaços de convívio e de contaminações múltiplas, onde se encontram as pessoas. Ignez lança mão de várias técnicas atuais da fotografia para tornar visível aos outros aquilo que só ela percebeu.

No projeto “Lugar”, Tom Boechat investiga os possíveis pontos de diálogo entre a pintura e a fotografia contemporâneas e propõe a realização de uma série fotográfica que aborde, tanto no processo criativo quanto no resultado final, questões pertinentes a essas duas linguagens.

Orientado por Orlando da Rosa Farya, o artista expõe quatro fotografias que foram produzidas no cenário urbano da Grande Vitória durante o período de duração da bolsa. Ele retrata construções em estado de abandono, ex-lugares que vão surgindo nas cidades em sua ânsia de renovação.

Já Victor Monteiro trouxe para o Museu a instalação “Apontamentos”. Com a orientação de Luciano Cardoso, o projeto foi realizado a partir de fragmentos da natureza.

São galhos e restos de árvores picados pela lâmina humana, dispostos de modo a formar uma superfície espinhosa, mas não repelente, pois convida ao toque. São galhos secos, sem vida, em processo de deterioração. Suas cores, embora ainda distintas, já perderam o viço. Pendente do teto uma luz destaca esses galhos, essas pontas, da penumbra que envolve a sala; é como um sol a acariciá-las.  E elas permanecem ali, ao calor desse sol, como se pudessem voltar à vida, como se pudessem brotar de novo.


Serviço:

Exposição “Edital 11″

Abertura: terça-feira (22)
Horário: 19 horas
Local: Museu de Arte do Espírito Santo Dionísio Del Santo (MAES)
Endereço: Av. Jerônimo da Monteiro, 631, Centro – Vitória ES
Período: até 08 de maio de 2011
Visitação: terça a sexta-feira – das 10 às 18 horas
sábados, domingos e feriados – das 12 às 18 horas
Visitas mediadas pelo site www.secult.es.gov.br


Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação/Secult
Larissa Ventorim
Texto: Simony Fadini
3636 7110 / 9902 1627
comunicacao@secult.es.gov.br


O que é BookCrossing ???

É um movimento que surgiu nos Estados Unidos em 2001 pelo programador Ron Hornbaker, a ideia é deixar um livro num local público, para que outros o encontrem, o leiam e assim sucessivamente. Desde o lançado do site www.bookcrossing.com, o movimento tem crescido, tornando-se global: está presente em 130 países, com mais de 6,2 milhões de livros registrados e 852 mil membros.

O objetivo do BookCrossing é "transformar o mundo todo em uma biblioteca". Para que isso se torne algo real é preciso libertar seus livros em locais públicos (cafés, transportes públicos, bancos de jardim e outros locais que a imaginação ditar) para que o maior número de pessoas os possam ler, em vez de os manterem parados nas estantes. Assim o acesso à leitura pode tornar-se universal e acessivel a todos.

No entanto, existe ainda um conceito restrito de BookCrossing que se refere à comunidade virtual, que não conhece limites geográficos , gerada em torno do sítio de internet criado com a intenção de se seguir o trajeto dos livros registados, nas suas viagens pelo mundo, através de um número identificativo escrito dentro de cada um dos livros. Pode-se fazer bookcrossing sem que os livros estejam registados no referido sítio de internet.

Esse movimento é basicamente “Ler, Registar e Libertar”, se você leu um livro muito legal e quer compartilhar com outras pessoas, é só ir até o site, cadastrar o livro e adquirir um número chamado BCID. No próprio site, você imprime uma pequena etiqueta (foto), cola no livro juntamente com o BCID, e por fim, divulga no seu perfil em que local você vai “liberta-lo”.



Projeto Livro Para Voar!    

Distribuidora de combustíveis ALE é a patrocinadora do projeto que iníciou o movimento em 2008, distribuindo quase sete mil livros em 134 postos de gasolina nas principais capitais do país. O feito transformou o Brasil na maior rede de bookcrossing fora dos EUA.

No site http://www.livroparavoar.com.br/ você liberta livros que já leu, fica sabendo onde encontrar títulos que quer ler e entra em contato com outros amantes da leitura.
E não é só isso. No Livro Para Voar, você pode também pesquisar autores e livros que admira, verificar se eles estão soltos à procura de um novo leitor e checar o que as pessoas estão dizendo a respeito da obra.



A jornalista Ana Laura Nahas espalhou os 30 últimos exemplares de seu livro "Todo Sentimento", foram espalhados por dez cidades brasileiras, com um pequeno cartão de instruções colado em cada livro. Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo são alguns dos locais onde o livro foi deixado.

As instruções sugerem que quem encontrar o livro escolha um texto, faça as anotações que quiser e, novamente, deixe o volume em um local público. "Queremos, literalmente, espalhar os sentimentos presentes nas crônicas, fazer com que pessoas, desconhecidas e diversas, peguem o livro depois de outros leitores e, da mesma forma, indiquem, marquem e deixem na rua", explica a autora.

Novidades

O blog agora terá um espaço reservado para minha mãe e sua flores,  vai ser possível encontrar modelos de arranjos florais e algumas novidades sobre o mundo da botânica.




Espero que gostem !!!                       


Jéssica Rodrigues

O inimigo secreto

Por meio da parceria  com o blog
nossaestante-br.blogspot.com/ consegui essa maravilhosa resenha do livro "O Inimigo Secreto". Quem puder dar uma passadinha no nossaestante-br, tenho certeza que irá gostar e ainda poderá conferir outras resenhas tão boas quanto esta.





O inimigo secreto, obra de Agatha Christie teve uma de suas publicações feita pala editora Rocco que nos apresenta  num best seller de 222 páginas uma trama que apenas a rainha do crime poderia escrever.
Este livro nos apresenta a primeira aventura do casal Tommy e Tuppence, amigos de longa data que de repente decidem-se por fundar uma empresa de investigação, trata-se da Jovens aventureiros Ltda. A empresa é inaugurada com seu primeiro trabalho que é oferecido por um homem chamado Whittington,  que ouviu a conversa entre o casal quando eles decidiram fundar a agência, mas Tuppence ao encontrar-se com o homem resolve usar um nome falso e se apresenta como Jane Finn e esse é o fato que muda o rumo dos jovens amigos.

O nome Jane Finn esconde um mistério e isso é tudo que Tuppence e Tommy mais desejam, um mistério para ser resolvido.  Decidem então colocar um anúncio no jornal ao qual respondem dois senhores, o primeiro deles Sr. Carter que diz trabalhar para o governo inglês e Julius Hersheimer que se diz primo de Jane Finn. A verdadeira Jane está desaparecida desde seu embarque num navio onde foi vista pela última vez portando documentos secretos.

Envolvidos num teia de armações e mentiras intrigantes, o casal cruza o caminho de um homem enigmático chamado Sr. Brown. Ninguém o conhece, mas o sujeito esta atras de jane Finn e por onde ele passa, deixa um rastro de mortes e armações.
Nesse livro Christie se supera mais uma vez, ela nos apresenta um obra que não conta com nosso querido Poirot, ao invés disso apenas dois jovens tentam revelar o inimigo secreto. A escrita como sempre é ágil e com muito suspense até o fim. Contando com humor e uma linha de raciocínio espetacular, ela nos presenteia com o que eu chamaria, de um best seller perfeito.


Lista completa de vencedores do 83º Oscar

Melhor direção de arte
Alice no País das Maravilhas

Melhor fotografia
A Origem

Melhor atriz coadjuvante
Melissa Leo - O Vencedor

Melhor curta-metragem de animação
The lost night, de Shaun Tan, Andrew Ruheman

Melhor longa metragem de animação
Toy Story 3

Melhor roteiro adaptado
A Rede Social

Melhor roteiro original
O Discurso do Rei

Melhor filme de língua estrangeira
Em um mundo melhor (Dinamarca)

Melhor ator coadjuvante
Christian Bale - O Vencedor

Melhor trilha sonora original
A Rede Social - Trent Reznor e Atticus Ross

Melhor mixagem de som
A Origem

Melhor edição de som
A Origem

Melhor maquiagem
O Lobisomem

Melhor figurino
Alice no País das Maravilhas

Melhor documentário em curta-metragem
Strangers no more

Melhor curta-metragem
God of love

Melhor documentário (longa-metragem)
Trabalho interno

Melhores efeitos visuais
A Origem

Melhor edição
A Rede Social

Melhor canção original
We belong together, de Toy Story 3

Melhor diretor
Tom Hopper - O Discurso do Rei

Melhor atriz
Natalie Portman - Cisne Negro

Melhor ator
Colin Firth - O Discurso do Rei

Melhor filme
O Discurso do Rei

Discurso do Rei leva o Oscar de Melhor Filme



Será que votaram em O Discurso do Rei porque se arrependeram do ano passado quando votaram errado em Guerra ao Terror ? Pode ser.

Porém o mais importante é que o filme arrecadou quatro estatuetas na 83º edição do Oscar, que aconteceu neste domingo (27), no teatro Kodak, em Los Angeles.

Indicado em 12 categorias foi o filme que mais concorreu em mais categorias nesta edição do Oscar, ganhou quatro das principais estatuetas: Melhor Filme, Melhor Diretor para Tom Hopper, Melhor Ator e Melhor Roteiro Original, o filme britânico superou seu maior concorrente, A Rede Social, nas principais categorias em que disputou.

O filme, que narra a peculiar relação entre o rei George 6º (Colin Firth) e o logopedista (profissional que trata de distúrbios da fala, Gerffrey Rush) que o ajudou a superar a gagueira pra se transformar no líder que o Reino Unido precisava às vésperas da Segunda Guerra Mundial.

Atrás dele vinha o longa "Bravura Indômita", que saiu de mãos abanando da cerimônia, sem um Oscar sequer.

A "Rede Social" de David Fincher, foi o principal concorrente do " O Discurso do Rei" , ficou apenas com Melhor Roteiro Adaptado, Trilha Sonora e Edição.

Já "A Origem" de Christopher Nolanicou dominou os chamados prêmios técnicos. levando para casa os Oscars de Fotografia, Mixagem de Som e Efeitos Visuais.

"Cisne Negro", o filme com Natalie Portman, concorreu a cinco estatuetas. Fechou a noite apenas com o prêmio para a Melhor Atriz.

Concorrendo na categoria documentária, a coprodução Brasil/Reino Unido " Lixo extraordinário", sobre o trabalho do artista Vik Muniz com catadores do aterro do Gramacho, não levou a estatueta. O troféu ficou com "Trabalho interno", que joga luz sobre a grave crise financeira dos Estados Unidos de 2008.

A animação "Toy Story 3", venceu o prêmio de longa-metragem animado e também canção original, por "We belong together" .

Natalie Potman e Colin Firth - Oscar 2011



Natalie Portman e Colin Firth arrebatram  os principais prêmios de interpretação nesta que é a maior festa do cinema mundial - e aconteceu neste domingo (27), no Kodak Theatre, em Los Angeles (EUA).

Nathalie arrebatou o prêmios por sua atuação em Cisne Negro. A atriz já havia recebido em globo de Ouro e o prêmio do Sindicato dos Atores Americanos por seu desempenho no longa-metragem.

No filme, Natalie da vida a Nina, uma bailarina clássica com técnica apurada, mas que é desafiada pelos papeis que terá que realizar em O Lago dos Cisnes. Ela deverá fazer o papel do cisne branco, a delicada princesa aprisionada, bem como o de cisne negro, sua sedutora e perigosa irmã.

Grávida de seu primeiro filho e chorando muito, a atriz agradeceu a toda equipe do flme e principalmente a seu companheiro, o coreógrafo Benjamim Millepied, que a treinou para o filme. " Ele me deu o papel mais importante da minha vida", disse.

Vencedor de Melhor Ator, Colin Firth levou a estatueta por conta de sua atuação em "O Discurso do Rei". Ele também já havia sendo agraciado por esse papel em outras premiações - o Globo de Ouro e o Bafta.

Emocionado, o ator britânico não gaguejou em seu discurso de agradecimento, mas brincou: "Estou com um mal-estar no estômago, uma coisa que parece que está dançando em minha barriga. Talvez isso seja problemático, se isso descer para minhas pernas e eu ainda estiver no palco".

No filme, ele é o Prícnipe George, segundo na sucessão do trono da Grâ-Bretanha. Quando seu irmão, Edward, desiste do trono para se casar com uma plebéia, George torna-se rei.

O longa mostra a história de superação do monarca, que transita entre a arrogância do nobre e a humanidade do homem com deficiência.

As categorias de ator e atriz coadjuvantes foram ambas de " O Vencedor" para Melissa Leo e Christian Bele.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...