23 de Abril: Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor






No dia 23 de abril, comemora-se o Dia Mundial do Livro. Uma data assinalada desde 1996 na XXVIII Conferência geral da UNESCO, reunida em Paris, que ocorreu entre 25 de Outubro e 16 de Novembro de 1995. Este dia também foi escolhido para honrar a velha tradição catalã segundo a qual, neste mesmo dia, os cavaleiros oferecem às suas damas uma rosa vermelha de São Jorge e recebem em troca um livro. Recentemente até a troca de uma rosa por um livro tornou-se uma tradição em vários países do mundo.  O objetivo é fazer com que os jovens descubram o prazer da leitura, promover a publicação de livros e a proteção dos direitos autorais.


O livro é considerado historicamente o instrumento mais importante de difusão dos conhecimentos, todas as iniciativas para promover a difusão do livro são um fator de enriquecimento cultural, e uma das formas mais eficazes de promoção do livro é organizar todos os anos "O dia do livro".
Nesta data celebra-se também o dia dos “Direitos de Autor”. Um direito que é reconhecido pela Declaração Universal dos Direitos do Homem (artigo 27º) e pela Constituição da República Portuguesa (artigo 42º). O direito de autor funciona como garantia de defesa do patrimônio e dos valores culturais.


Em 1926 a Espanha instaurou o dia 23 de Abril como Dia do Livro, trata-se de uma data simbólica para a literatura, já que, segundo os vários calendários, neste dia faleceram importantes escritores como Miguel de Cervantes, na Inglaterra celebrava-se no mesmo dia, pois coincide com a morte de Shakespeare que ocorreu exatamente 10 dias depois de Cervantes. Apesar de ter enraizado rapidamente em Barcelona, o dia coincidiu com o dia do Santo Padroeiro – São Jorge – onde este era o propósito oficial de comemoração. 





Todos os anos, o Ministério da Cultura, através da Direção-Geral do Livro e das Bibliotecas, assinala este dia com a publicação de um cartaz que distribui por bibliotecas, livrarias e outros espaços culturais. Com ele, pretende-se chamar a atenção para a importância do livro e da leitura.
O cartaz deste ano é da autoria do artista plástico e ilustrador João Vaz de Carvalho. Premiado nacional e internacionalmente, editado em vários países, a sua  obra é hoje reconhecida como uma das vozes mais ativas do setor.



O mais importante  é acostumarmos a apreciar uma boa leitura, seja ela fictícia ou não, indicar aos amigos bons livros e divulgar autores de qualidade é uma responsabilidade imensa, todos os leitores deveriam adotar essas três regrinhas como meta de vida, ensinar uma criança a importância de ler é responsabilidade não apenas dos pais, mas de toda a sociedade. Dar o valor que se deve a um livro e a seu autor, pois escrever não é fácil e tentar agradar um número grande de pessoas é ainda mais difícil, devido ao grande número de gêneros que encontramos disponíveis no mercado.






Ler um livro é sentir o prazer de viajar no passado,viver o presente e se preparar para o futuro, conhecendo o ser humano em todos os tempos e a nossa essência em todos os períodos da existência humana.
















Aprovado fundo para incentivar a leitura

 Projeto que cria o Fundo Nacional Pró-Leitura (FNPL), de autoria do senador José Sarney (PMDB-AP), foi aprovado nesta terça-feira (19) pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), em decisão terminativaDecisão terminativa é aquela tomada por uma comissão, com valor de uma decisão do Senado. Quando tramita terminativamente, o projeto não vai a Plenário: dependendo do tipo de matéria e do resultado da votação, ele é enviado diretamente à Câmara dos Deputados, encaminhado à sanção, promulgado ou arquivado. Ele somente será votado pelo Plenário do Senado se recurso com esse objetivo, assinado por pelo menos nove senadores, for apresentado à Mesa. Após a votação do parecer da comissão, o prazo para a interposição de recurso para a apreciação da matéria no Plenário do Senado é de cinco dias úteis.. Para entrar em vigor, a proposta (PLS 294/2005) precisa ainda ser aprovada pela Câmara. A aprovação ocorreu um dia depois do Dia Nacional do Livro Infantil (18 de abril).

O fundo visa captar recursos para fomentar a produção, distribuição e comercialização de livros, incluindo a exportação, como prevê a Política Nacional do Livro (Lei 10.753/03). Terá recursos do Tesouro Nacional, de doações, legados, subvenções e auxílios, entre outras fontes, e não terá prazo determinado de duração.

Entre os objetivos do FNPL, está a atualização do acervo de bibliotecas públicas e a inclusão de livros em sistema Braille, além da capacitação de pessoas que trabalham nos setores gráfico, editorial e livreiro.

Os financiamentos com recursos do FNPL serão feitos a fundo perdido ou por empréstimos reembolsáveis para a produção e distribuição de publicações. A execução de projetos buscará estimular a regionalização da produção literária, técnica e científica. Os recursos do fundo poderão financiar até 80% do custo total de cada projeto de edição ou distribuição de obras literárias, conforme previsto no projeto.

O relator na CAE, senador Inácio Arruda (PCdoB-CE), acolheu cinco emendas feitas ao texto pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), que tratam de aspectos relativos à gestão do FNPL. No debate da matéria, o relator elogiou a proposta e ressaltou a necessidade de aumentar o acesso dos brasileiros aos livros.

- Nosso povo ainda lê pouco. Vê muita televisão, ouve muito rádio, mas lê pouco. O esforço do presidente José Sarney é no sentido de ampliar o espaço da leitura no nosso país - frisou o Inácio Arruda.


 
Acho que as coisas realmente estão mudando.


O Dia Nacional do Livro infantil foi escolhido pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, em 2002; foi criada a Lei (10.402/02) como forma de homenagear e registrar o dia do nascimento do escritor brasileiro José Bento Monteiro Lobato como data oficial da literatura infanto-juvenil. Monteiro Lobato nasceu em 18 de abril de 1882 e foi o criador da literatura infantil no Brasil. Monteiro Lobato morreu em 4 de julho de 1984, aos 66 anos.
Monteiro Lobato foi um dos maiores autores da literatura infanto-juvenil brasileira criou aventuras com figuras tipicamente brasileiras, por meio de suas histórias recuperou costumes e lendas do nosso folclore. Uma de sua histórias de grande sucesso foi “A Menina do Nariz Arrebitado”. Dando continuidade a esse sucesso ele criou a maior obra de literatura infanto-juvenil: O Sítio do Pica-pau Amarelo.

Seus principais personagens são D. Benta, a avó; Emília, a boneca falante e irreverente; Tia Nastácia, cozinheira e famosa pelos deliciosos bolinhos de chuva; Pedrinho e Narizinho, netos de D.Benta; Visconde de Sabugosa, boneco feito por Pedrinho e Narizinho com restos de sabugo de     milho; Tio Barnabé, caseiro do Sítio e contador de “causos”, Marquês de Rabicó, porquinho guloso  e vários outros personagens inesquecíveis.


Quem não se lembra do anjinho da asa quebrada que caiu do céu e viveu grandes aventuras no sítio? 



Monteiro ainda apresentou figuras do nosso folclore brasileiro, como o Saci Pererê, negrinho de uma perna só e de gorro vermelho na cabeça; a Cuca, uma jacaré muito malvada entre outros. No final dos anos 80 o sítio foi transformado em obra televisiva. 
Lobato também inseriu em sua obras um pouco da mitologia grega, como o episodio “O Minotauro” quando Pedrinho, muito interessado em saber de tudo, pede à avó que conte a história do Minotauro, a criatura com corpo de homem e cabeça de touro. Dona Benta começa falar o que sabe sobre mitologia grega, quando uma estranha visita chega ao sítio e consegue levar Tia Nastácia para bem longe dali. Ainda inseriu personagens do Walt Disney e das histórias em quadrinhos.
Através de sua histórias mostrou para as crianças como é possível aprender brincando. Com o livro “Emília no País da Gramática” , em 1934, abordou vários assuntos como adjetivos, substantivos, pronomes, verbos e vários outros. Ainda criou “Aritmética da Emília, em 1935, com as mesmas intenções, dessa vez as brincadeiras aconteciam num pomar.


“Um país feito com homens e com livros”

Essa frase criada por ele demonstra a valorização que o mesmo dava à leitura e sua forte influência no mundo literário 

Ler um livro de Monteiro Lobato é embarcar numa viajem inesquecível, ele nos permite conhecer e explorar novos mundos, como ir ate O Reino das Águas Claras para assistir o casamento d o Príncipe Escamado, um peixe que quase se casou com Narizinho.
Quando embarcamos nessas aventuras não sentimos mais vontade de parar, por isso o LIVRO É MÁGICO, este faz toda diferença na formação de uma criança. Apesar de estarmos na era digital, às histórias infantis faz a criançada explorar um mundo de fantasia e aventuras fazendo com que explore ao máximo o seu poder de imaginação. Na verdade essas histórias acabam encantando todos de todas as idades.
Existem outros escritores brasileiros que também propiciam altas aventuras, como Ziraldo, Ruth Rocha, Ana Maria Machado entre outros.




LEIA MUITO E LEIA SEMPRE, POIS O LIVRO  SABE SER UM ÓTMIO AMIGO!!!





Biblioteca Transcol

Três anos e sete meses após a inauguração da primeira Biblioteca Transcol, o projeto está prestes a atingir a marca de 170 mil empréstimos. Já são oito unidades instaladas nos terminais de integração do Sistema Transcol (Laranjeiras e Carapina, na Serra; Itacibá, Campo Grande e Jardim América, em Cariacica, e São Torquato, Ibes e Itaparica, em Vila Velha), que conquistaram 26.698 associados. O total de empréstimos efetuados é de 169.022.

As bibliotecas disponibilizam seu acervo para o empréstimo exclusivo de seus associados.  A variedade considerável de livros proporciona ao usuário uma leitura diversificada, tendo um número aproximado de 10 mil exemplares.  

E a quantidade de empréstimos alcançada é a demonstração do resultado do projeto realizado pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult), pela Companhia de Transportes Urbanos da Grande Vitória (Ceturb-GV), pela ONG Universidade para Todos e pela ArcelorMittal Tubarão, visando a incentivar a prática da leitura.
    
Para se associar à Biblioteca Transcol é necessário preencher um cadastro com dados pessoais, apresentar documento de identidade e comprovante de residência. O cadastrado recebe uma carteirinha com foto, que deve ser apresentada junto a um documento de identidade no ato de empréstimo de livros. Os leitores podem pegar um livro por vez, por um período de 10 dias, podendo ser renovado por mais dez. O atraso na devolução implica em multa de R$ 0,50 por dia de atraso.



No mês de fevereiro de 2011, os 10 livros mais lidos foram:
  • A Menina que Roubava Livros
  • Reunião Sombria - Série diários do Vampiro
  • Tentada - Série House of Night
  • A Cabana
  • Amanhecer
  • Marcada - Serie House of Night
  • Beijada por um Anjo
  • A Fúria - Série diários do Vampiro
  • Crepúsculo
  • O Despertar - Série diários do Vampiro.

  O Biblioteca Transcol é um projeto que visa incentivar a leitura nos segmentos que possuem dificuldade de acesso aos livros.Para isso, foram instaladas unidades de locações de livros, nos terminais rodoviários do Sistema TRANSCOL, pois, nesses circulam parcela significativa do público alvo do Projeto.
Nesse sentido, o Projeto está incentivando a leitura e contribuindo para a melhoria dovel de informação e conhecimento das populaçõeses menos favorecidas.

 A primeira unidade da Biblioteca foi lançada no Termial de Laranjeiras, no município de Serra. Em março de 2008 foram lançadas 02 novas Bibliotecas, nos Terminais de Itacibá, em Cariacica e no Ibes, em Vila Velha, e em abril de 2009 foi lançada a Biblioteca do Terminal de Campo Grande.
No período de agosto de 2007 a junho de 2009 se associaram 10.970 usuários do Transcol ao Projeto, e foram realizados 45.190 empréstimos de livros, com umadia de 250 empréstimos, por dia útil, nos 04 Terminais.

Nos dias atuais o Projeto Biblioteca Transcol conta com 6 (seis) unidades de biblioteca sendo, Laranjeiras, Ibes, Itacibá, Jardim América, Campo Grande, São Torquato, os terminais contemplados com o módulo da biblioteca Transcol.




Dia Internacional do Livro Infantil

02 de abril data escolhida para comemorar o Dia Internacional do Livro Infantil, foi feita em homenagem ao escritor Hans Christian Andersen em comemoração ao seu nascimento no dia  2/4/1805.

Foi um escritor dinamarquês de histórias infantis. O pai era sapateiro, o que levou Andersen a ter dificuldades para se educar, mas os seus ensaios poéticos e o conto "Criança Moribunda" garantiram-lhe um lugar no Instituto de Copenhague. Escreveu peças de tatro , canções patrióticas, contos, histórias, e, principalmente, contos de fadas, pelos quais é mundialmente conhecido.

Entre os contos de Andersen, destacam-se varias histórias muito conhecidas:  O Patinho Feio, A Caixinha de Surpresas, Os Sapatinhos Vermelhos, O Soldadinho de Chumbo, A Pequena Sereia, A Roupa Nova do Rei, A Princesa e a Ervilha, A Polegarzinha, dentre outros.

Apesar de ter escrito diversos romances adultos, livros de poesia e relatos de viagens, foram os contos de fadas que tornaram Hans Christian Andersen famoso. Especialmente pelo fato de que, até então, eram muito raros livros voltados especificamente para crianças.
Ele foi, a "primeira voz autenticamente romântica a contar histórias para as crianças" e buscava sempre passar padrões de comportamento que deveriam ser adotados pela nova sociedade que se organizava, inclusive apontando os confrontos entre "poderosos" e "desprotegidos", "fortes" e "fracos", "exploradores" e "explorados". Ele também pretendia demonstrar a idéia de que todos os homens deveriam ter direitos iguais.
Entre 1835 e 1842, Andersen lançou seis volumes de Contos, livros com histórias infantis traduzidos para diversos idiomas. Ele continuou escrevendo seus contos infantis até 1872, chegando à marca de 156 histórias. No começo, escrevia contos baseados na tradição popular, especialmente no que ele ouvia durante a infância, mas depois desenvolveu histórias no mundo das fadas ou que traziam elementos da natureza.
Faleceu, em Copenhague no dia 4 de agosto de 1875, onde foi enterrado. foi enterrado em lisboa.

Graças à sua contribuição para a literatura infanto-juvenil, a data de seu nascimento, 2 de abril, é o Dia Internacional do Livro Infanto-Juvenil. Além disso, o mais importante prêmio internacional do gênero, o Prêmio Hans Christian Andersen, tem seu nome.
Anualmente, a International Board on Books for Young People (IBBY) oferece a Medalha Hans Christian Andersen para os maiores nomes da literatura infanto-juvenil. A primeira representante brasileira a ganhá-la Ana Maria Machado em 1982 seguida de Lygia Bojunga, em 2000. 

Mês do livro

Abril é o mês do livro, este que é Grande companheiro das horas de lazer, este mês reúne 3 datas consagradas a este guardião do conhecimento, que armazena todo o aprendizado humano.

 Dia 2 DE ABRIL,  foi escolhido para ser o Dia Internacional do Livro Infantil, ou o Dia Internacional do Livro para Crianças, por ser a data de nascimento do escritor Hans Christian Andersen.

A denominação "livro infantil" se enquadra às obras escritas, ilustradas ou não, que são lidas pelas crianças. Geralmente inspirada nas lendas e tradições de folclore dos povos.

A literatura infantil engloba desde os clássicos da literatura mundial aos livros apenas ilustrados, sem texto, sejam contos de fadas, lendas, fábulas ou histórias de aventuras, mesmo que não tenham sido escritos exclusivamente para as crianças, são classificados como infantis os livros que são lidos e apreciados por elas.


No dia 18 DE ABRIL, o Dia Nacional do Livro Infantil, nos termos da Lei n° 10.402, sancionada em 08 de janeiro de 2002, pelo então Presidente da República.

Já no dia 23 DE ABRIL comemora-se o Dia Mundial do Livro, juntamente com o do Direito do Autor.

Foi instituído pela Unesco em 1995 com o objetivo de atrair a atenção das autoridades governamentais e da população para este que é um dos meios de transmissão de conhecimento mais universais e eficazes que existem. Em várias cidades do mundo acontecerão eventos comemorativos.

A escolha do dia deve-se ao fato de que vários escritores consagrados, como Miguel de Cervantes, William Shakespeare, Vladimir Nabokov e Josep Pla, nasceram ou morreram em um 23 de abril.

Biblioteca Pública Estadual comemora mês da literatura infantojuvenil


A Biblioteca Pública do Espírito Santo Levy Cúrcio da Rocha (BPES), organizou para abril uma variada programação com opções de leitura para agradar todos os gostos e idades, principalmente crianças e jovens, por ser o mês do Livro Infantil e Juvenil.  As atividades começam nesta quarta-feira (06), às 19 horas, tendo como destaque a poesia no lançamento da obra "Livro Novíssimo", de Fernando Achiamé.

A programação continua no próximo dia 13 quando, às 19 horas, a Biblioteca organizará a abertura das comemorações do 25° aniversário de morte do contista e romancista capixaba José Carlos Oliveira.

O evento contará com uma exposição original de obras do escritor, e duas palestras: "Um novo animal na floresta. É isso aí, bicho", com José Irmo Goring; e "Da boemia à política: José Carlos Oliveira e o espetáculo da crônica brasileira", com Lucas dos Passos.

Já no dia 14, às 16 horas, será realizada uma roda de leitura do livro "Negrinha", de Monteiro Lobato. A atividade terá como guias Rita de Cássia Maia e Vanda Luiza Souza Netto.

No dia 26, às 19 horas, será a vez do "Debate-papo: um dedo de prosa entre o escritor, o crítico literário e o público leitor". O evento contará com a presença do escritor Fernando Achiamé, autor de "Livro Novíssimo", e do mediador Gilbert Chaudanne.

As atividades serão encerradas na última quinta-feira do mês, dia 28. Às 19 horas, será realizada uma palestra da série "Cultura Italiana" com o Prof. Dr. Paolo Spedicato, sobre "Livros Pequenos para Gente Grande. O palestrante citará obras como ?Pinóquio?(1883), de Carlo Collodi; ?Coração?(1886); e ?Sobre o Oceano?(1889), de De Amicis, na formação do italiano moderno.


Serviços

Quarta-feira (06)
19 horas: Lançamento da obra "Livro Novíssimo", de Fernando Achiamé

Quarta-feira (13)
19 horas: 25 anos sem Carlinhos de Oliveira
-Exposição de obras e originais do escritor;
-Palestra: "Um novo animal na floresta. É isso aí, bicho", por José Irmo Gonring
-Palestra: "Da boemia à política: José Carlos Oliveira e o espetáculo da crônica brasileira", por Lucas dos Passos

Quinta-feira (14)
16 horas: Mês do Livro Infantil e Juvenil
Roda de Leitura: "Negrinha", de Monteiro Lobato. Leitora-guia: Rita de Cássia Maia e Vanda Luiza

Terça-feira (26)
19 horas: Debate-papo: um dedo de prosa entre o escritor, o crítico literário e o público leitor.
Escritor: Fernando Achiamé
Mediador: Gilbert Chaudanne

Quinta-feira (28)
19 horas: Série "Cultura Italiana"
"Livros Pequenos para Gente Grande - ?Pinóquio?(1883), de Carlo Collodi e ?Coração?(1886) e ?Sobre o Oceano?(1889), de De Amicis - na Formação do Italiano Moderno"
Prof. Dr. Paolo Spedicato

Biblioteca Pública do Espírito Santo
Av. João Batista Parra, 165, Praia do Suá, Vitória
(27) 3137 9349.
mailto:sebp@secult.es.gov.br%20
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...