A cura nas páginas dos livros



 “Sabemos que o poder da boa literatura é profundo e transformador, mas não nos advogamos como médicos. Somos doutores de livros!”




Palavra de origem grega:
Biblion: todo tipo de material bibliográfico ou de leitura
Therapein: tratamento, cura ou restabelecimento
A biblioterapia é uma atividade interdisciplinar que pode ser desenvolvida em parceria com a Biblioteconomia, a Literatura, a Educação, a Medicina, a Psicologia, a Enfermagem..., é um ramo que vem ganhando adeptos no Brasil.

É um processo que se utiliza da leitura de histórias, proporciona práticas de leitura e interpretação de textos em tratamentos de pessoas acometidas por doenças físicas e mentais. Pode ser aplicada na educação, na saúde e reabilitação de indivíduos em diversas faixas etárias. É uma ferramenta ou recurso terapêutico que faz parte de um processo.
Através das histórias o individuo pode enxergar outras perspectivas que o levará a mudanças profundas, a pessoa pode distinguir sentimentos, pensamentos  e comportamentos que o levará a novos caminhos para enfrentar as dificuldades.

É composto por quatro etapas:
“- O leitor/ouvinte se envolve com a trama e/ou com o personagem da história (envolvimento), promovendo a identificação. Ao identificar-se, pode reconhecer e vivenciar seus sentimentos. Os problemas resolvidos com sucesso farão com que o indivíduo realize uma tensão emocional associada aos seus próprios problemas, atingindo a catarse. Desta forma, pode chegar ao insight, que leva o leitor/ouvinte a aplicar o que aconteceu na história à sua vida pessoal. 
A semelhança do problema da história leva à aproximação da vida pessoal, tornando-o acessível, atingindo uma etapa final, que seria a universalidade, onde se podem compreender outros problemas similares.”

“Normalmente, a biblioterapia se dá em grupo. O aplicador seleciona o texto, faz a leitura, narração ou dramatização de uma história e aposta no envolvimento do público. Cuida, ainda, de permitir a liberdade de interpretação, propiciar o diálogo, a catarse, a identificação, a introspecção. “É bom frisar que para esse mister se presta a literatura, quer dizer, a ficção. Textos informativos ou didáticos não são considerados biblioterapêuticos, porque não produzem a explosão e apaziguamento das emoções [catarse], não permitem a identificação com as personagens [experiência vicária], nem induzem à introspecção [reflexão sobre como nosso comportamento afeta o outro].”



Para a eficácia desse processo é importante a seleção criteriosa do material a ser utilizado e o acompanhamento emocional dos materiais e o compartilhamento das experiências
Ao ler um o texto o individuo constrói um texto paralelo ligado às suas experiências pessoais, dessa forma cada leitor criará um significado pessoal e intransferível.

“O indivíduo pode ser ajudado a ganhar distanciamento de sua própria dor e expressar seus sentimentos, idéias e pensamentos, o que pode possibilitar uma percepção mais aguçada de sua própria situação de vida, desenvolvendo uma forma de pensar criativa e crítica, alem de diminuir o sentimento de solidão (de sentir-se único a se sentir daquela forma), validar seus sentimentos e pensamentos, desenvolver empatia com outras pessoas (quando a biblioterapia é aplicada em grupo). Isso favorece a diminuição da ansiedade.”

“O conhecimento proporcionado por um bom livro pode tornar as pessoas mais seguras, confiantes e conhecedoras de seus limites” afirma Tonio Dorrebach Luba, psicólogo e psicoterapeuta.



A biblioterapia pode ser vista como um remédio dado a conta gotas, pois é um processo longo e que acontece aos poucos, não vai ser na leitura da primeira página que veremos o resultado do tratamento, mas será no decorrer da leitura, a partir do momento que a pessoa se encontrar nas páginas do livro, se identificar com o personagem ou com a história do livro e passar a se envolver emocionalmente ele poderá se identificar, o desfecho do livro pode trazer para o leitor/ ouvinte possibilidades de desfecho para seus conflitos



 "O leitor que mais admiro é aquele que não chegou até a presente linha. Neste momento já interrompeu a leitura e está continuando a viagem por conta própria."

( Mario Quintana)





2 comentários

  1. Puuuxa...muito boa essa história! Gostei!

    ResponderExcluir
  2. Gostei desse assunto... Biblioterapia.
    Acho que vou querer que vc leia umas estórias para mim. rsrsrs

    ResponderExcluir

Olá!
Sua opinião é muito importante para mim.
Não esqueça de deixar o link do seu blog para eu retribuir a visita.
Obrigada :D
Beijos Jéssica Rodrigues

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...