AS ESGANADAS 

“Começa a temporada de caça às gordas”


Autor: Jô Soares
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 264
Ano de lançamento: 2011


Mais uma vez me diverti horrores com Jô Soares !!!
O autor do best-seller O xangô de Baker Street  volta aos assassinatos em série. Fugindo do estilo comum de descobrir quem é o criminoso Jô revela nas primeiras páginas o culpado e a sua motivação para matar 7 mulheres que tem em comum apenas o fato de serem gordas. Com uma narrativa rápida, agradável e leve, apesar dos crimes nojentos.
Mas uma vez Jô Soares cria histórias de crimes policiais e ao mesmo tempo nos faz rir, ele abusa da ironia e do humor. E ainda faz uma crítica ao preconceito da sociedade.
Uma das coisas que mais me chama atenção nos livros do Jô é a mistura de ficção + realidade, ele utiliza pessoas e fatos históricos para contar suas histórias.  É essa mistura que faz toda diferença e dá um toque especial. Muitas vezes me pego perguntando se tal fato narrado no livro é verídico ou não. Tem como pano de fundo o Rio de Janeiro do Estado Novo, o avanço do nazismo e as primeiras ameaças da Segunda Guerra Mundial. É um livro recheado de personagens carismáticos e comidas portuguesas. 
Embarcamos numa complicada investigação atrás do assassino  muito esperto e que não desperta suspeita nenhuma, graças a uma rara característica física que dificulta a utilização dos novos métodos de investigação da policia carioca. Para investigar os crimes, o chefe de polícia Filinto Müller designa o delegado Mello Noronha e seu medroso auxiliar Valdir Calixto. Noronha ainda contará com a ajuda de um ex-inspetor português Tobias Esteves (à la Sherlock Holmes). Enquanto procuram o assassino, os três investigadores ganham mais uma companhia,a jovem repórter e fotógrafa da principal revista ilustrada do país, Diana de Souza.

Um personagem que me chamou atenção foi o anão  Battiscopa, em sua rápida aparição me simpatizei com ele e compartilhei de sua tristeza.







“- Nunca se sabe, delegado – retruca Esteves – Como se diz em Portugal: ‘Por mais caridades que faças e por mais rico que sejas, a quantidade de pessoas que irão ao teu funeral vai depender do tempo que estiver fazendo’.
Faz-se uma longa pausa.
O reflexivo Calixto quebra o silêncio pensando alto:
- Por mim, prefiro um velório de rico do que um casamento de pobre.”




BOOK TRAILER 

Bem-vindo a 1938.
Mas tome cuidado, um assassino de mulheres gordas está à solta.













2 comentários

  1. Eu li O xangô de Baker Street gostei muito emprestei e nunca mais eu vi rs Depois ganhei O Homem que matou Getúlio Vargas, não gostei , pra mi o JÕ como escritor é melhor entrevistando. Bjs

    PS acho que vou fazer uma resenha dele...

    ResponderExcluir

Olá!
Sua opinião é muito importante para mim.
Não esqueça de deixar o link do seu blog para eu retribuir a visita.
Obrigada :D
Beijos Jéssica Rodrigues

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...