LIBRARY OF CONGRESS



A biblioteca do congresso americano é a instituição mais antiga do país e é considerada a biblioteca mais completa do mundo, já resistiu a dois incêndios e à consequente perda de milhares de livros.

Criada em 1800 pelo então presidente John Adams, possui atualmente cerca de cento e quarenta milhões de obras em pelo menos quatrocentos e setenta idiomas, muitas das quais verdadeiros tesouros - por exemplo, os diários manuscritos de George Washington ou um exemplar da bíblia de Gutenberg.  No entanto, a sua coleção – que foi sendo reposta ao longo dos tempos - distribui-se atualmente por mil quilômetros de estantes e está sendo digitalizada com o objetivo de se tornar acessível a todos.



A Biblioteca foi criada a 24 de Abril de 1800 através de um decreto oficial assinado pelo então presidente John Adams. O “Acto do Congresso” transferia, assim, a sede do governo de Filadélfia para Washington. Na nova capital, o governo destinou cinco mil dólares para a compra de livros necessários ao funcionamento do Congresso, no inicio a biblioteca foi destinada a preservação da história do país e a aquisição de documentos oficiais. Inicialmente a biblioteca fica instalada no Capitólio. Porém, quando as tropas inglesas invadiram o território em 1814, um primeiro incêndio destrói não só o edifício como também os três mil exemplares . Num golpe de sorte, em menos de um ano a sua coleção ganha 6.487 livros: o ex-presidente Thomas Jefferson, com várias dívidas para pagar, vende a sua biblioteca pessoal, que possuía um acervo raro e valioso em todas as ciências, sua biblioteca foi considerado um dos melhores nos Estados Unidos.

Em Dezembro de 1851, um segundo incêndio põe fim a trinta e cinco mil livros e raridades como os retratos dos cinco primeiros presidentes norte-americanos pintados por Gilbert Stuart, um retrato original de Cristóvão Colombo e estátuas de George Washington, Thomas Jefferson e Marquês de la Fayette.



Ainsworth Rand Spofford, bibliotecário do Congresso 1864-1897. constituiu a Biblioteca em uma instituição nacional.  Por volta de 1870, a biblioteca se tornou depósito legal de toda a criação inteletual e histórica do povo americano. Isto resultou em uma enxurrada de livros, folhetos, mapas, música, gravuras e fotografias. Enfrentando uma escassez de espaço nas prateleiras no Capitólio, Spofford convenceu o Congresso da necessidade de um novo edifício.

Em 1886, depois de muitas propostas e muita controvérsia, o Congresso autorizou a construção de um novo edifício da Biblioteca. O projeto de Washington John e J. Paul Pelz é posto em prática e constrói-se um impressionante edifício baseado na arquitetura renascentista italiana. O seu interior começa a ser decorado com esculturas e pinturas de vários artistas norte-americanos. A 1 de Novembro de 1897, a Biblioteca do Congresso abre oficialmente as suas portas ao público. Foi saudado como um monumento glorioso nacional e "o maior, o mais caro e o mais seguro" edifício da biblioteca do mundo.

Atualmente, a biblioteca é gerida por quatro mil bibliotecários que, além de organização e preservar o patrimônio, se dedicam a manter a filosofia iniciada por Thomas Jefferson: o caráter universal do conhecimento só é possível se acreditarmos na importância de todos os temas.  Acessível para qualquer um, desde que a pessoa detenha um Cartão de Identificação de Leitor, o qual permite a entrada nos recintos destinados à leitura e às coleções. Basta ter pelo menos 16 anos, idade certificada através de documentação com foto. Os turistas podem apenas conhecer os seus aposentos. Apenas integrantes do Congresso, da Suprema Corte de Justiça, funcionários destes órgãos e da Biblioteca e alguns membros oficiais do Estado podem investigar detalhadamente o teor de seus exemplares.


Cópia da Biblia de Gutenberf. Foto de Mark Pellegrini.


A biblioteca do congresso americano possui um escritório no Rio de Janeiro onde coleta materiais do Brasil, Uruguai, Suriname, Guiana e da Guiana Francesa. O objetivo do escritório e enriquecer as coleções de pesquisa da Biblioteca do Congresso com o que há de melhor da produção bibliográfica desses países.
Foi inaugurado em 1966 como um escritório do Programa Nacional de Catalogação e Aquisição para suprir a Biblioteca do Congresso com publicações brasileiras. As publicações adquiridas incluem livros, jornais, revistas, folhetos, literatura de cordel, CDs, CD-ROMs, DVDs, mapas, cartazes e partituras musicais. Muitas publicações são compradas, mas um pouco mais da metade do total adquirido pelo escritório é proveniente do intercâmbio com cerca de 500 instituições.




 











Fonte
http://www.loc.gov/about/history.html
http://www.loc.gov/index.html
http://catalog.loc.gov/
http://www.infoescola.com/literatura/biblioteca-do-congresso-dos-estados-unidos/
http://portuguese.riodejaneiro.usconsulate.gov/pt/loc-rj.html

4 comentários

  1. Oi Jessica,
    Que linda essa biblioteca, né.
    Quero poder conhecer um dia.
    bjs

    http://entrepaginasesonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Show de bola, você ao fazer a postagem deve ter sentido um frêmito invadir tua alma hein Jess?! Imagina trabalhar numa dessas? rs
    Bjs
    http://mundoliterando.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem brinca Márcia, cada imagem que eu via fica dando gritinhos rsrsrsr
      Seria ótimo trabalhar nessa biblitoeca mas a nossa nacional está de bom tamanho

      Excluir

Olá!
Sua opinião é muito importante para mim.
Não esqueça de deixar o link do seu blog para eu retribuir a visita.
Obrigada :D
Beijos Jéssica Rodrigues

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...