[RESENHA] Crimes do Tarô






"A livraria estava deserta àquela hora da manhã. Tinha um clima tranquilo, era um espaço de paz onde cheiros, luzes e sombras, objetos e móveis antigos em madeira escura harmonizavam-se. Era possível reconhecer ali a presença de culturas milenares e a sapiência de povos ancestrais. Mesmo pessoas céticas, como inspetor Tomás, podiam sentir a energia esotérica que inundava aquela pequena sala em uma estreita galeria do Bairro Cigano. A presença de Tomás naquela loja demonstrava a certeza que ele agora tinha de que mais cartas de tarô surgiriam para decifrar. Tinha esperança que não fossem muitas."



Autor: Leonardo Nóbrega / Ano: 2014 / Páginas: 336 / 
Idioma: português / Editora: Prêmius / Skoob

Classificação



Noite tranquila no Centro da cidade, um guarda-civil faz sua ronda rotineira quando percebe uma movimentação no Banco Efetivo, chegando mais perto ele percebe que alguém está fugindo pelas sombras. Neste momento o guarda põe em prática seu ofício e começa a perseguir o meliante, ou melhor "a meliante", uma loira de olhos verdes que em sua fuga não se faz de boa moça e dá um soco no guarda que desmaiado permite que a jovem fuja pela noite escura. 

O inspetor Tomás é chamado para conduzir as investigação e prender o mais rápido possível a Ladra do Tarô, como foi apelidada pela impressa por deixar no local do crime duas cartas de um baralho de tarô. Com as cartas em mãos Tomás inicia sua investigação com uma visita ao bairro cigano e descobre que as cartas fazem parte de um baralho em especifico, o tarô de Marselha, cada carta tem um significado que esclarece os possíveis motivos que levaram a Ladra do Tarô a cometer tais crimes. Edith, secretária do Banco Efetivo que passa ajudar Tomás, trazendo novas informações que podem ajudar na solução do caso, uma vez que o banco não é o único a ser visitado pela bela ladra de olhos verdes.



Com toque esotérico, Crimes do Tarô transporta o leitor para a década de 30 e mostra uma investigação sem todas as tecnologias que conhecemos, instigante e com estilo próprio o autor conduz a história de forma a deixar o leitor cada vez mais curioso. Acabei por descobrir alguns acontecimentos antes do previsto mas as motivações passaram longe da minha imaginação.

Logo de cara percebe-se que é um livro policial, mas o ponto forte e diferente neste livro é seu caráter ideológico. O autor aproveita das falas dos personagens para criticar de forma direta e genial vários aspectos da sociedade, ele traz para as páginas do livro a violência e o preconceito que vemos todos os dias espalhados pelas pequenas e grandes cidades. Da violência com os pobres e os negros, ele passa pelos preconceitos culturais de uma sociedade que enxerga o diferente como errado e marginaliza tudo que considera inferior, até chegar na grandes corporações que não enxergam nada além do lucro.





Crimes do Tarô é uma mistura de mistério, vingança, teorias da conspiração e crítica social, um super ponto positivo foi a inserção do povo cigano, mesmo que superficialmente o autor abordou lindamente os costumes e a forma como eram (ou são) tratados. Um livro que merece ser lido e relido.



Book Trailer
 





[RESENHA] Ler para Pensar, e Pensar para Sair do Lugar

                          
Por Jana Lauxen.

Foi por acaso que a obra Pensar para Sair do Lugar: Crescimento Pessoal e Profissional caiu em minhas mãos. No entanto, certamente não foi por acaso que o terceiro livro do escritor Antonio Luiz Pontes fisgou minha atenção e meu interesse já nas primeiras linhas.

A obra, lançada em 2014 pela Editora Expressão & Arte, reúne 27 ensaios abordando temas comuns a todos nós, como a vaidade, a sorte, a inspiração, a resistência, os rótulos sociais, a autovalorização, a paciência, a credibilidade, a produtividade, entre muitos outros. Logo, é impossível não haver uma identificação imediata entre leitor e literatura.

Antonio Luiz Pontes conseguiu a proeza de abordar o corriqueiro de forma totalmente imprevisível e surpreendente. Fica claro, já nas páginas iniciais do livro, que o autor passou por um profundo e complexo processo de reflexão antes de colocar suas ideias no papel. Algo raro em dias atuais, onde a velocidade e a quantidade parecem mais importantes que a concentração e a qualidade.

No entanto, Antonio Luiz Pontes não coloca sua visão sobre a vida como a verdade absoluta. Diferentemente de muitos livros com proposta similar, os ensaios contidos na obra Pensar para Sair do Lugar não se encerram em si; em cada texto há uma porta aberta para que, a partir das opiniões apresentadas, o leitor possa elaborar sua própria opinião – inclusive discordando do autor.

Eis por que motivo o título da obra não poderia ser mais adequado: Antonio Luiz Pontes é um entusiasta do pensamento próprio. Acredita que somente através do raciocínio poderemos atingir nossa independência intelectual. Enquanto integrantes de uma sociedade que parece ter desaprendido a pensar, não há outra maneira de atingir nossos objetivos – sejam pessoais, sejam profissionais – senão por meio do raciocínio, da reflexão, da percepção. O que, na visão de Antonio, e também na minha visão, é algo particular e intransferível.

Afinal, pensar é sinônimo de liberdade, como o autor deixa claro em diferentes momentos de sua obra. Assim, não é difícil concluir que, atualmente, vivemos em uma sociedade basicamente aprisionada; aprisionada intelectualmente, aprisionada culturalmente e, principalmente, aprisionada socialmente.

Antonio Luiz Pontes busca justamente quebrar esta espiral perigosa na qual nos envolvemos, seja enquanto indivíduo, seja enquanto nação, levando seu leitor ao raciocínio, ao questionamento, ao movimento. Uma obra que faz jus ao principal objetivo da literatura: tirar o leitor do lugar onde ele confortavelmente está, instigando-o e interrogando-o em suas próprias certezas. Porque nossa capacidade de pensar e de raciocinar está diretamente ligada à nossa capacidade de agir, e de sair do lugar.

Por estas, e por muitas outras razões, recomendo fortemente a leitura da obra Pensar para Sair do Lugar: Crescimento Pessoal e Profissional. Para todos os leitores, cidadãos e profissionais que sabem que o nosso mundo precisa de pensamento e movimento para se emancipar do engessamento intelectual e social no qual nos encontramos, e que nos impedem de viver a vida de modo mais pleno, mais livre, mais independente e, consequentemente, mais feliz.     

* Saiba mais sobre o autor e sua obra acessando seu site (www.alppalestras.com.br), seu blog (www.alpontes.blogspot.com.br), e sua página no Facebook (www.facebook.com/antonioluizpontesescritor).

Sobre a autora:
Jana Lauxen tem 30 anos, é editora, produtora cultural e escritora, autora dos livros Uma Carta por Benjamin (2009) e O Túmulo do Ladrão (2013). Colunista da revista Café Espacial, já publicou em mais de quinze coletâneas, e organizou oito, algumas em parceria com outros escritores. Atualmente trabalha na Editora Os Dez Melhores.



[SÉRIE] Bates Motel


Oioioi leitores!!!

Quem for viciado em séries levanta a mão o/ o/ o/


Eu já me convenci que faço parte desse time, sempre que surge uma série nova fico no dilema se vou assistir ou não. Não pretendia me enfiar na vida dos Bates, mas o que não fazemos pela família? Nada como uma tia que não tem com quem conversar sobre a série que está amando para te fazer mudar de ideia. Obrigada tia <3 span="">



 
Protagonizado por uma atriz que admiro (Vera Farmiga) e com o menino da Fantástica Fábrica de Chocolates (Freddie Highmore), Bates Motel é minha nova queridinha, uma mistura de drama, mistério e suspense. Bates Motel nos coloca na vida de Norma Bates e seu filho Normam Bates. Após a misteriosa morte de seu marido, Norma decidi começar uma nova vida longe do Arizona, na pequena cidade de White Pine Bay, em Oregon, e leva o filho Norman, de 17 anos, com ela. Ela comprou um velho motel abandonado e a mansão ao lado. Mãe e filho sempre compartilharam uma relação complexa, quase incestuosa. Trágicos acontecimentos vai empurrá-los ainda mais. Todos eles agora compartilham um segredo obscuro. A série é baseada no filme Psicose de 1960, que retrata a vida de Norman Bates e de sua mãe Norma antes dos eventos retratados no filme de Alfred Hitchcock.


 



 

A série me conquistou nos primeiros episódios, imaginei que seria mais dramática mas a carga de suspense é muito maior. A atuação do ator Freddie Highmore, que interpreta Norman Bates foi a que mais me impressionou, ele faz a carinha fofa do menino da Fantástica Fábrica de Chocolates e logo em seguida muda para um semblante bem psicótico, assustador! Uma das coisas que tornaram a série mais dinâmica foram os outros personagens como a Emma, Dylan e o Xerife Romero. Eles são incríveis e ainda possuem suas próprias histórias.




Apesar da série acontecer antes do filme de 60 ela faz uma mistura bem legal e lógica das duas épocas, os personagens tem TV colorida, mas amam e assistem filmes em preto e branco, tem celular, notebook e várias tecnologias que não existiam em 1960. Por outro lado a caracterização da casa, das roupas da Norma e do Norman, o carro e alguns outros detalhes são bem fieis ao filme original.

A terceira temporada chegou ao fim mês passado e já foi renovada para a quarta temporada (Aleluia!!!!). Já estou ansiosa para a volta dos Bates, já que o último episódio foi daqueles de deixar o queixo caído. Outro detalhe: Freddie Highmore, que interpreta o personagem Norman Bates, roteirizará um dos episódios da quarta temporada.





Ps.: Eita, família para atrair problemas e gente ruim ... De verdade, alguém fez algum trabalho pra eles só pode ser hahaha.


Já assistiu? O que achou?? 


Não?? Então corre que dá tempo de assistir tudo até a próxima temporada, são apenas 10 episódios por temporada ;)




Trailer - Bates Motel: 1ª Temporada



 





[PARCERIA] Editora Draco



Olá leitores do meu coração!!!
Com muita alegria que venho comunicar que somos parceiros da Editora Draco \o/\o/.
Estamos pulando de alegria por vocês terem confiado no nosso trabalho, Obrigada! Tive a honra de conhecer alguns autores e os livros da editora durante a Bienal do Rio, na ocasião nem imaginava que iria conseguir a parceria. Fiquei encantada com o atendimento no estande e com os autores que estavam presentes, todos hiper mega empolgados e isso foi contagiante. Bem, vamos conhecer a editora??



Draco. Do latim, dragão.
“A palavra dragão (em inglês, dragon) vem do grego drákon, δράκων, que deriva do verbo derkomai, “olhar”, pois seu papel no mito grego é o de vigiar tesouros cobiçados. O nome tem sido dado a criaturas mitológicas muito diversas, de diferentes culturas.”

É uma editora independentes de ficção dedicada somente à produção brasileira e lusófona. Todas as nossas edições têm tratamento de texto cuidadoso, diagramação customizada por projeto e uma obsessão cada vez maior em entregar aos nossos leitores o que há de melhor na literatura brasileira de gênero.

O que o nosso draco propõe?
Algo diferente. Invés de apenas vigiar esses tesouros cobiçados, queremos também apresentá-los a todos que os buscam. Esses tesouros estão por toda parte: internet — em suas muitas facetas como blogs, sites de compartilhamento e redes sociais; computadores pessoais — escondidos por autores que são verdadeiros dragões, no sentido original da palavra; impressos — compartilhados entre amigos e familiares — e, claro, também nas estantes das livrarias por todo o país. Esses tesouros, ou podemos dizer, tesouro: a literatura fantástica brasileira.

A Editora Draco quer fazer conhecido esse imaginário brasileiro, tão nosso e único, mesmo influenciado por obras estrangeiras que chegam através de livros e outros meios.
Queremos publicar autores brasileiros, aliando design, ilustrações e tudo o que for possível para melhorar nossos produtos. Que nossos leitores sejam atraídos pela beleza, mas nunca deixem de se maravilhar com as histórias e personagens que nossos livros trazem.

Que os autores brasileiros possam compartilhar seus tesouros e nós, amantes de livros e literatura fantástica, possamos ajudá-los a chegar aos leitores, abrindo portões e vencendo armadilhas, criando imagens e histórias que possam ser contadas por muitos anos. O dragão despertou e convida a todos para desfrutar desse tesouro.







Essa jornada mágica só ela pode trilhar
Anna sempre foi feliz entre os elfos da Floresta dos Teixos, mas, ao completar doze anos, começa a se dar conta de que é muito diferente de todos. Nem sua avó, uma caçadora experiente, e nem o xamã da tribo têm respostas para suas dúvidas.

Quando uma misteriosa coruja rouba sua bolsa de talismãs, a menina se aventura em uma jornada no coração da floresta, atravessando os territórios dos espíritos-guardiões da tribo. E é através das armadilhas e perigos da Trilha Secreta que tudo o que aprendeu até hoje será posto à prova.

Autora: Ana Lúcia Merege // Gênero: Fantasia, infantojuvenil // Páginas: 84 // 





Quando o Amor e a Morte estão separados por um simples beijo
Meu nome é Kat, não sei se já nos falamos. Bom, pareço uma jovem universitária normal, exceto por um detalhe: tenho o poder de matar com um simples toque. No passado, isso fez com que eu tentasse me manter isolada de todos, mas também atraiu pessoas que desejavam controlar esse dom – e aí as coisas ficaram perigosas para o meu lado. Muito perigosas.

Eu meio que iniciei uma guerra.
Só sei que agora estou não apenas envolvida, mas jogada bem no meio de tudo, parte de algo que ainda nem entendo, não sei em quem confiar ou qual é o meu papel. Sei também que há pessoas que se importam comigo e querem me ajudar a superar meus problemas. Mais ainda, me ajudar a acabar com um plano que pode levar a humanidade a mergulhar no caos. E entre eles está aquele que me faz ter medo de poder matar alguém com um toque. Ou um beijo…

Autora: Luiza Salazar // Gênero: YA, fantasia // Páginas: 152 //  

 

E se do outro lado do espelho estivesse a vida que você sempre desejou?

Lá no fundo, Megan não quer ser quem é e nem viver essa vida triste, exatamente o inverso daquela que sempre sonhou para si. Tudo começa com a morte de sua mãe. A sensação terrível de que algo nunca mais vai ser como antes. E não será mesmo. O seu único alento é o carinho da irmã, que a vê como o que gostaria de ser quando crescer.
Mas há um novo mundo do outro lado dos espelhos. Um mundo igual ao seu, só que ao contrário. Um mundo perfeito onde as pessoas que morreram estão vivas e Megan é exatamente a garota que deveria ser.

Entrando nessa realidade pelo avesso, Megan começa uma perigosa busca por si mesma onde o reflexo de tudo que há de ruim tentará detê-la. Enquanto segue em frente ela deverá garantir a segurança das pessoas que mais ama.

Inverso é um romance cheio de suspense de Karen Alvares, autora de Alameda dos Pesadelos. Em um labirinto de escolhas sem poder sequer distinguir a própria imagem, Megan deverá lidar com a perda enquanto descobre quem é a garota que a encara no espelho.

Autora: Karen Alvares // Gênero: Suspense, YA, fantasia // Páginas: 136 // 




1993. Em pouco tempo sete jovens se suicidam, e rumores sobre um ritual ganham as páginas dos jornais. A polícia descarta a opção e dá o caso como encerrado.
 
Anos se passam e Daniel Farias, um popular escritor de terror, decide reconstituir o caso em sua nova obra. Durante a pesquisa, descobre histórias sobre uma ordem secreta operando em nome de um demônio, o Dragão Vermelho, cujas origens remontariam a um exorcismo ocorrido no século XVI, na Espanha.

Sucesso imediato entre os fãs, o livro alcança a lista de best-sellers e também as páginas policiais, ao se espalhar a notícia de que leitores estariam se matando após a sua leitura. Isso faz as vendas explodirem, e o mistério aumenta quando o próprio Daniel começa a ser vítima de ameaças, enquanto pais preocupados tentam boicotar o livro.

Livro de estreia de Ivan Mizanzuk, uma das novas promessas do thriller nacional, Até o fim da queda desenha através de cartas, entrevistas e artigos de jornais uma trama de conspirações e inquietudes, ao mesmo tempo em que investiga as mais profundas angústias humanas, e o preço que pagamos ao tentarmos silenciá-las. Descobrir o que se esconde no fundo desse abismo pode custar sua própria sanidade.

Autor: Ivan Mizanzuk // Gênero: Suspense, thriller, policial // Páginas: 244
Preço de capa: R$ 44,90 (papel) // R$ 19,90 (e-book)

Gostaram? Os livros acima são apenas para mostrar um pouquinho do catálogo da editora, corram no site e confiram ;)

Já que não fiz post sobre a Bienal (vergonha) vou deixar duas fotinhas que tirei com as escritoras Karen Alvares e Ana Lúcia Merege.









Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...